Pular para o conteúdo principal

Postagens

Layla e Majnun

Essa é uma história sobre dois jovens. Ela se chama Layla e ele era chamado de Qays. Mas, ficaria conhecido por toda a eternidade como Majnun, “o louco.” ...


Uma noite, Majnun cavalgava errante com seu camelo e de repente avistou um grupo de mulheres lindas, entre elas estava Layla, a mulher por quem Majnun dedicaria o resto da sua existência e bastou um olhar para causar um efeito devastador em Majnun, que se apaixonou perdidamente. Ele acompanhou as mulheres no banquete ao qual elas se dirigiam e ofertou o seu camelo em contribuição para o festejo. Layla também estava apaixonada e Majnun decidiu pedir sua mão em casamento.
Porém, o que eles não sabiam é que o pai de Layla já a tinha prometido para um outro homem e o casamento só não havia sido realizado, porque o noivo, Ibn-el Salaam, achava que Layla ainda era muito jovem.
Ao saber disso, Majnun desespera-se e larga tudo, passando a viver junto aos animais selvagens. Durante esse período escreve poemas sempre exaltando seu amor por La…
Postagens recentes

O Filho do Contador de Histórias

Era uma vez um contador de histórias que pertencia a uma antiga linhagem de bardos, cuja tradição era preservar e relatar histórias de tempos remotos, na corte de um certo Rei. Ele tinha orgulho de sua antiga linhagem, da extensão de seu repertório e do grau de sabedoria que havia em seus contos, usados como indicadores do presente, como registros do passado e como alusões tanto das coisas do mundo dos sentidos, quanto das do mundo que existe além das aparências. Mas, na corte existiam também outros especialistas de todos os tipos, como é útil e natural. Havia chefes militares, cortesãos, conselheiros e embaixadores; haviam engenheiros especializados em construção e demolição, homens religiosos e de outros tipos de sabedoria: em resumo, havia pessoas de todos os tipos e condições e cada uma delas se julgava melhor do que todas as outras. Um dia, quando houve uma longa disputa a respeito da precedência entre esses dignos personagens, a única conclusão a que puderam chegar foi que de todos…

O Cavalo Mágico

Um rei tinha dois filhos. O primeiro ajudava as pessoas, trabalhando da maneira que elas compreendiam. O segundo era chamado de preguiçoso porque, na opinião de todos, era sonhador.
O primeiro filho recebeu grandes honrarias em sua terra.
O segundo recebeu das mãos de um humilde carpinteiro um cavalo de madeira, e o montou. Porém, o cavalo era mágico. Levava o cavaleiro, se fosse sincero, na direção do desejo do seu coração. Em busca do desejo de seu coração, o jovem príncipe um dia desapareceu em seu cavalo.
Esteve ausente muito tempo e, depois de muitas aventuras, regressou com uma bela princesa que vinha do país da Luz. Seu pai louco de alegria ao vê-lo retornar são e salvo, escutou a história do cavalo mágico.
O cavalo foi colocado à disposição de quem quer que o desejasse naquele país, mas muitas pessoas preferiam os benefícios óbvios oferecidos pela ações do primeiro príncipe porque, para eles, o cavalo continuava sendo um brinquedo. Nunca viram além da aparência externa do cava…